O ADEUS AO REI DO POP

Ontem o mundo foi pego de surpresa com a notícia da morte do cantor Michael Jackson. Evidente que o blog não deixaria passar esse assunto em branco. Muita gente certamente vai lembrar de onde estava no dia em que recebeu essa notícia. Eu estava aqui em casa assistindo televisão. Logo que terminou o jornal local da Globo, às 19 horas, foi ao ar uma chamada do Jornal Nacional informando sobre a internação de Michael. Logo depois liguei o computador e logo de cara os sites já informavam a morte do cantor.

Mundialmente, a primeira fonte a dar a notícia da morte de Michael foi um blog, o TMZ, o que demonstra a velocidade com a qual um veículo como a Internet tem para a comunicação ainda mais de uma notícia desse porte, pois a notícia chegou pouco tempo depois nas redes de televisão. Os grandes jornais norte-americanos demoraram para confirmar a notícia acreditando que o blog estaria apenas especulando, mas em meia hora mais ou menos a informação foi confirmada.

Em vários sites de notícias do mundo, em blogs como este, em redes sociais e no site de microblogs Twitter fãs, jornalistas, pessoas comuns, todo mundo não falava em outra coisa. No Twitter mesmo, por volta das 21 horas de ontem, 9 dos 10 assuntos mais comentados (os Trending Topics) eram relacionados a Michael. Tantas eram as mensagens que o serviço ficou lento. A notícia gerou grande perplexidade de certo modo, dado a lenda em que se tornou Michael Jackson e o legado musical que ele deixa de agora em diante.

Foi um fato repentino mesmo. O cantor passou mal em sua casa por volta do meio-dia de ontem no horário de Los Angeles (o que equivale no horário de Brasília as 16 horas) e foi levado ao hospital. Constatado que ele sofreu parada cardíaca e entrou em coma profundo, morreu pouco tempo depois. Seria consequência do stress, da pressão e da solidão que a fama lhe trouxe?

Resumindo a vida e carreira de Michael, ele começou a carreira num grupo formado pelos irmãos e comandado pela mão-de-ferro do pai. No final dos anos 70 seguiu em carreira solo, e foi aí que ele se tornou o “rei do pop”, com músicas que alcançavam as paradas de sucesso na primeira posição e clipes que duravam cerca de 14 minutos, como Thriller (terror), que bateu recorde de vendas até hoje não superado. Mas aos poucos vários fatores começaram a interferir na carreira dele, como seu vício por analgésicos (que teria começado após um acidente de gravação de um comercial em 1984), mudanças na cor da pele e suas clássicas bizarrices. Construiu uma mansão chamada “Terra do Nunca”, uma referência a terra do Peter Pan, o menino que não queria crescer, talvez uma referência a infância que Michael queria recuperar. Ali várias crianças visitavam a mansão, e por causa disso já enfrentou duas acusações de pedofilia. Iria fazer uma série de 50 shows em Londres, Inglaterra. Deixa três filhos, dois meninos e uma menina.

O mundo inteiro agora rende homenagens a Michael Jackson. Até mesmo os jornais locais de João Pessoa exibiram relatos de fãs lamentando a perda precoce do rei do pop. Prova que ele rompeu barreiras com seu talento, o que demonstra porque fãs e até quem não curte música pop sentiram de certa forma a perda de Michael, ou seja, quase todo o mundo. Michael Jackson revolucionou a música pop e influenciou gerações. Será muito difícil aparecer alguém como Michael no mundo da música.

Compartilhe este post