DIRETO DO CRISTO: HISTÓRIA DE UMA LOCADORA

É a primeira vez que faço uma matéria em outro lugar que não seja a minha casa, aonde geralmente escrevo todas as matérias. Estou escrevendo diretamente da locadora do meu primo, no Cristo Redentor, perto do Almeidão.

Ontem, eu nem escrevi nada por conta de uns ajustes técnicos que fiz nas minhas páginas. Agora sim estou aqui de volta, especialmente em outro canto da cidade.

O feriado foi como sempre, de descanso. Ontem, lembrando, foi dia dos namorados, data que, como disse, não entrou no meu calendário porque sou solteiro, o que se pode fazer…

Então, falando de onde estou, estou num local que parece estar em extinção, mas o negócio aqui parece estar firme e forte, e até criou uma espécie de “cineclube”, ou melhor, comunidade no Orkut. Situada na esquina das ruas Napoleão Dure e Milagres, a Locamais Videolocadora tem um acervo de cerca de 150 títulos, que pode aumentar, naturalmente. Funciona há cerca de três meses, e, graças aos clientes mais fiéis consegue sobreviver mesmo com um mercado não muito favorável para o ramo, já que o número de videolocadoras que fecharam de cinco anos para cá é muito alto.

A comunidade da Locadora no Orkut já conta com dez membros e três tópicos, onde pode-se sugerir ideias de filmes e também saber um pouco do que o cliente assiste ou gosta de assistir. Também existe uma enquete sobre, naturalmente, filmes.

Esta matéria sobre a videolocadora começou lá no estabelecimento, no Cristo Redentor e está sendo fechada aqui em minha casa no Rangel. Ou seja, até ausente de casa tenho novidades a trazer. Para onde quer que você esteja.

Compartilhe este post