Image

UMA IDEIA NA PONTA DO LÁPIS (E DA CANETA)

Pelo menos para mim e para muita gente, essa semana foi de volta às aulas. Momento de reencontro para quem […]
, , , ,

Pelo menos para mim e para muita gente, essa semana foi de volta às aulas. Momento de reencontro para quem está há um bom tempo no colégio (ou faculdade, como é o meu caso); momento de conhecer novos amigos se você é novato. Em ambos os casos um ponto em comum os une: o momento de estrear o material escolar novo.

E no decorrer do ano, muitas pessoas distraídas terminam perdendo suas canetas ou cadernos, e não sabem como encontrar. E também há aqueles que emprestam canetas, lápis aos colegas, e que volta e meia terminam não conseguindo recuperar as mesmas. Se você é uma dessas pessoas, esta postagem é para você.

E uma dessas pessoas distraídas era… Eu mesmo.

Em 2009, época em que era estudante do 3º ano do ensino médio do Lyceu Paraibano, adotei um mecanismo que muita gente usa para não perder as suas canetas: identificá-las com etiquetas de papel no tubo das mesmas.

Etiquetas de identificação: uma forma de ajudar a localizar suas canetas.

A ideia inicial era identificar as canetas com o meu nome, mas essa seria uma ideia muito óbvia, e como não sou muito óbvio, resolvi então fazer diferente.

Como naquela ocasião (2009) o blog estava com menos de oito meses e alguma coisa de idade, ou seja, estava nascendo, do que ele precisava? De divulgação. E essa necessidade de divulgação do blog + identificar as canetas para não perdê-las = uma grande ideia.

E como o endereço do blog já leva o meu nome (Josivandro Avelar), foi então que resolvi colocá-lo nas etiquetas de papel das canetas e lápis.

Etiquetas de papel adesivo nos lápis grafite.

Para essa estratégia eu já possuía algumas folhas de papel ofício (ou sulfite, como queiram), duas folhas de papel adesivo, e uma impressora no computador (o mesmo de onde o blog é escrito). Em todas as etiquetas o endereço do blog aparece escrito na fonte oficial da página: Candara size 11. As etiquetas de papel adesivo serviam para identificar os lápis grafite.

Assim, as etiquetas possuíam outras finalidades além de somente indicar que os lápis e canetas pertencem a Josivandro Avelar: partiram do princípio “Você sabe onde encontrar o dono desta caneta”. Facilita muito na hora de emprestar uma caneta ou lápis a alguém: mais que identificar o proprietário da caneta, divulga o blog do mesmo.

Lápis e caneta identificados com o endereço do blog.

Uma forma de identificar e divulgar.

As etiquetas diminuíram a absolutamente zero o número de canetas perdidas. Elas só saem das canetas quando as mesmas são completamente utilizadas; se por exemplo quiser presentear a alguém com uma caneta dessas, a etiqueta permanece ali como lembrança. Que nem aquelas canetas de empresa.

E após essa ideia, fomos mais além: os cadernos também foram identificados com etiquetas. Nesse caso um pouco maiores:

Além dos lápis e canetas, cadernos e outros acessórios são identificados com etiquetas.

Faltou apenas o registro do tamanho “plus size”, que não está aqui em foto. É a maior das etiquetas, contendo a inscrição “Pertence a Josivandro Fernandes de Avelar”, endereço do blog, número de telefone, e-mails e endereço do Twitter (twitter.com/josivandro). É muito difícil de perder pelo tamanho, mas fácil de agilizar informações a quem perguntá-las eventualmente.

E assim surgiu uma ideia que, mais que um elemento de simples identificação, ajudou a divulgar o blog. Ideia essa que não deixa de ser uma estratégia de publicidade, que segue até hoje.

Uma ideia que você também pode adotar: além de utilizar o seu nome na identificação de seu material escolar, você também pode divulgar a sua página pessoal ou alguma outra atividade que necessite de divulgação, como:

  • Revenda domiciliar (seu nome + o que você vende + número do telefone);
  • Estabelecimento comercial (nome do estabelecimento + número de telefone ou e-mail ou rede social);
  • Banda musical (nome da sua banda + endereço da rede social que você mais usa);
  • Seu endereço no Twitter (Follow-me + @seu nome de usuário);
  • Outras infinitas aplicações, as quais você pode adaptá-las a sua identidade.

Seguindo estas dicas e acrescentando mais finalidades, afinal você tem total liberdade criativa para fazer o que quiser, além de apenas identificar, você está dando uma identidade sua ao seu material.

E assim, lembre-se que, se você perder a sua caneta, alguém irá achar mais que o dono, irá achar o seu talento. E se alguém pedir emprestada a sua caneta, a pessoa que lhe pediu emprestada a caneta sabe onde lhe encontrar, além de estar próxima a você. E se você for presenteado com uma caneta, terá uma boa lembrança a guardar.

Porque foi-se o tempo em que material escolar era identificado com nome, endereço, matéria, série. Há um bom potencial a ser explorado com simples etiquetas.


Receba os posts do site em seu e-mail!

Toda vez que um post for publicado no site, você irá receber na hora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Antes de deixar o seu comentário, leia a Política de Comentários do site.

Luneta Sonora

Um podcast sobre tudo e o nada ao mesmo tempo.
  1. Luneta Sonora 127: Sério que eu esqueci dos três anos do podcast?
  2. Luneta Sonora 126: Se eu esqueci de alguma coisa, eu não me lembro
  3. Luneta Sonora 125: Como eu esqueci de oito desenhos?
  4. Luneta Sonora 124: Que legenda este episódio merece?
  5. Luneta Sonora 123: A velha rotina está de volta
  6. Luneta Sonora 122: Nunca pode ser tarde, mas tem sido tarde

Assine A Luneta

Receba os posts do site em uma newsletter enviada às segundas, quartas e sextas, às 8 da manhã.

Clássicos da Luneta

Posts de anos anteriores para relembrar.