Quase 4 mil posts. Quase…

A partir deste post, faltarão treze posts para eu chegar em 4 mil publicações já feitas neste blog em onze anos e três meses. Bagagem, meus amigos, bagagem. O que parecia ser uma mala de mão tá aos poucos virando um container desses de navios.

Mas enquanto eu não chego lá, vamos refletir sobre essa caminhada longa que ainda tem várias voltas no planeta, em torno de si mesmo e em torno do Sol. E como nada é mole nessa vida para você achar que se consegue tudo quando quer.

Quando se tem vontade, se consegue, quando não, tá tudo lá, mas a menor de todas elas é desistir. Tem uma força por trás disso que eu nem sei de onde vem, mas ela te diz que escrever é mais do que necessário.

É tempo o suficiente para evoluir, ir atrás, construir. Não é mole, é um desafio.

E para que servem os desafios? Desafios são feitos de resistência.

Porque muitas vezes você abre mão do que te faz confortável para ir um pouco além. Mesmo com tudo, com todos os problemas que aparecem, esse não é um caminho mole de se seguir.

Porque o caminho não é de asfalto. É uma estrada de terra, cheia de atoleiros, pedras, e muitas vezes quando você atola, precisa de ajuda para sair de onde você está. Aí entra aquele meu conceito de somar ideias.

E é somando ideias que estamos chegando perto de 4 mil posts. Porque somar ideias é essencial nos momentos mais difíceis da vida. Porque é delas que você vai precisar quando a tempestade passar, porque elas é que foram o seu cobertor nesse momento.

Enquanto isso, sigo escrevendo rascunhos e mais rascunhos para chegar perto disso. O cobertor ainda precisa de mais retalhos.

Não sei como vou chegar lá, mas vou chegar lá. Com fé e na certeza de que tudo vai e está dando certo.

Compartilhe este post