Como o Instagram classifica o que você vê

No post anterior, falei em linhas gerais sobre aquele post do blog do Instagram onde o CEO da rede, Adam Mosseri, explica em detalhes como o Instagram entrega experiências personalizadas para os usuários. Agora vamos falar sobre como esses algoritmos “aprendem” os seus gostos, ou seja, como eles classificam o que você vê na rede social.

Então, você vai entender de uma vez por todas como é que funcionam os algoritmos do Instagram e como eles sabem do que você gosta, determinando o que você vê na rede social. Primeiro, vamos falar da classificação de feeds e stories, depois sobre a aba Explorar, até finalmente chegarmos aos Reels.

As informações, como bem expliquei anteriormente, tem como base este post no blog oficial do Instagram escrito pelo próprio Mosseri, traduzi algumas partes para trazer para cá. E explico melhor cada parte desses algoritmos, de modo a ajudar você a entender como é que os algoritmos sabem do que você gosta e determinam o que você vê em cada parte do Instagram.

Classificação dos Feeds e stories

Essa é bem óbvia: a primeira coisa que os algoritmos destinados a essas abas “aprendem” é saber com que usuários você mais interage, e com quais você mais curte. Se eles estão no feed – e por tabela nas stories – é porque lá estão seus familiares, amigos, pessoas que você mais admira, que você quer manter contato, seguindo como de se esperar uma ordem de relevância na sua vida. Ou seja, quanto mais importância você dá a algumas pessoas, mais você vai ver conteúdo delas.

É essa ordem de relevância que determina quem aparece primeiro na sua linha do tempo e quais as primeiras bolinhas que aparecem nas suas stories. E dessa ordem, os posts mais recentes aparecem primeiro. Não o de todo mundo, e sim de quem mais importa para você. E como os algoritmos sabem o que você vê no feed? Porque entende que foi com aquelas pessoas que você mais interagiu.

E como eles vão entender o que você vê? Então, eles vão entender isso em forma de “sinais”. Mas o que são esses sinais? Em linhas gerais é isso aqui, que o próprio CEO explicou no blog oficial:

(…)pegamos todas as informações que temos sobre o que foi postado, as pessoas que fizeram essas postagens e suas preferências. Chamamos isso de “sinais”, e existem milhares deles. Eles incluem tudo, desde a hora em que uma postagem foi compartilhada, se você está usando um telefone ou a web, até a frequência com que gosta de vídeos.

Adam Mosseri, CEO do Instagram
E quais são esses “sinais”?

Então, esses “sinais” aos quais o CEO do Instagram se refere são esses aqui:

  • Informações sobre a postagem. Esses são sinais sobre a popularidade de uma postagem – pense em quantas pessoas gostaram dela – e informações mais mundanas sobre o conteúdo em si, como quando foi postado, quanto tempo dura se for um vídeo e qual local, se houver, foi anexado a ele.
  • Informações sobre a pessoa que postou. Isso nos ajuda a ter uma noção de quão interessante a pessoa pode ser para você e inclui sinais como quantas vezes as pessoas interagiram com essa pessoa nas últimas semanas.
  • Sua atividade. Isso nos ajuda a entender no que você pode estar interessado e inclui sinais como quantas postagens você gostou.
  • Sua história de interação com alguém. Isso nos dá uma ideia de como você geralmente está interessado em ver as postagens de uma pessoa em particular. Um exemplo é se vocês comentam ou não as postagens uns dos outros.

A partir daí, ele vai “aprender” que é isso que te leva ao Instagram e vai entregar uma experiência personalizada, a partir da maneira que você interage com determinados usuários.

No Feed, as cinco interações que examinamos mais de perto são a probabilidade de você passar alguns segundos em uma postagem, comentar, curtir, salvar e tocar na foto do perfil. Quanto maior a probabilidade de você realizar uma ação, e quanto mais pesamos essa ação, mais alto você verá a postagem. Adicionamos e removemos sinais e previsões ao longo do tempo, trabalhando para melhorar a localização do que você está interessado.

Adam Mosseri, CEO do Instagram

Importante saber!

Os algoritmos do Instagram também identificam comportamentos inadequados do usuários, já que a moderação não tem, logicamente, como monitorar tudo de “maneira humana”, afinal é uma rede social extensa.

Os algoritmos também aplicam sanções caso entenda que houve violações aos termos de serviço ou desinformação. Se você compartilha, por exemplo, uma notícia comprovadamente mentirosa, o Instagram vai aplicar um rótulo de informação incorreta e vai reduzir o alcance de seu perfil.

Classificação da aba Explorar

No caso da aba Explorar, o Instagram entende que você está procurando experiências novas ali, e por isso, o algoritmo do feed e das stories não vai trabalhar da mesma maneira. Aliás, ele não trabalha, o algoritmo aqui é outro.

Para montar a aba Explorar, o Instagram procura primeiro a base das fotos que você curtiu, em busca das pessoas que curtiram as mesmas fotos que você e de tudo que está relacionado as fotos que você curtiu. Como o nome sugere, a aba de Explorar é para que você descubra novas contas que eventualmente você se interesse e vá seguir, ou seja, lá não está nenhuma conta que você segue, lógico.

Os sinais mais importantes para classificação da aba Explorar

Os sinais mais importantes para chegar a toda essa dinâmica, pela ordem de importância estabelecida pelo Instagram, são esses:

  • Informações sobre a postagem. Aqui, examinamos o quão popular uma postagem parece ser. Estes são sinais de quantas e com que rapidez outras pessoas estão gostando, comentando, compartilhando e salvando uma postagem. Esses sinais são muito mais importantes no Explorar do que no Feed ou nas Histórias.
  • Seu histórico de interação com a pessoa que postou. Provavelmente, a postagem foi compartilhada por alguém de quem você nunca ouviu falar, mas se você interagiu com essa pessoa, isso nos dá uma ideia de como você pode estar interessado no que ela compartilhou.
  • Sua atividade. Esses são sinais de quais postagens você gostou, salvou ou comentou e como você interagiu com as postagens no Explorar no passado.
  • Informações sobre a pessoa que postou. Esses são sinais como quantas vezes as pessoas interagiram com essa pessoa nas últimas semanas, para ajudar a encontrar conteúdo atraente de uma grande variedade de pessoas.

Ou seja, a aba Explorar tem relação com o que você e as pessoas que você segue curtem, que estabelecem relações e por fim você descobre coisas em comum, amigos em comum, ideias em comum. Desse modo, determinam o que você vê nessa aba.

Classificação dos Reels

A classificação dos Reels funciona quase que da mesma maneira que na aba Explorar: a maioria das pessoas que você vai encontrar lá não segue você. Elas vão te descobrir. Por isso essa função é bem incentivada para quem quer conquistar seguidores, devido a alta penetrabilidade do formato. Só que aqui, o foco é no entretenimento, no que você gosta. É tanto que ele não se relaciona, por exemplo, com o “aprendizado” que os algoritmos tiveram nas outras partes do Instagram.

Essas previsões são montadas a partir do momento que o Instagram entende que você vai ver aquele vídeo até o fim e que ele tenha a possibilidade de entreter você.

Os sinais mais importantes para classificação dos Reels

Os sinais que o Instagram elenca em ordem de importância são esses:

  • Sua atividade. Analisamos itens como os rolos de que você gostou, comentou e interagiu recentemente. Esses sinais nos ajudam a entender qual conteúdo pode ser relevante para você.
  • Seu histórico de interação com a pessoa que postou. Como em Explorar, é provável que o vídeo tenha sido feito por alguém de quem você nunca ouviu falar, mas se você interagiu com eles, isso nos dá uma ideia de como você pode estar interessado no que eles compartilharam.
  • Informações sobre o Reels. São sinais sobre o conteúdo do vídeo, como trilha de áudio, compreensão do vídeo com base em pixels e quadros inteiros, bem como popularidade.
  • Informações sobre a pessoa que postou. Consideramos a popularidade para ajudar a encontrar conteúdo atraente de uma ampla gama de pessoas e dar a todos a chance de encontrar seu público.

E como de se esperar, o Instagram evita recomendar Reels que estejam baixa resolução ou com marca d’água de outras redes sociais (isso já foi explicado aqui), ou Reels que se concentram em questões políticas ou que são feitas por figuras políticas, partidos ou funcionários do governo – ou em seu nome.

Como o Instagram pode identificar o que eu gosto de ver e assistir?

Os algoritmos do Instagram tentam “adivinhar” os seus gostos e o que você vê, mas se guiam também pelo que você busca na rede social. Então, você pode fazer com que os algoritmos “aprendam” os seus gostos.

Como assim, posso fazer eles “aprenderem”? Você pode fazer com que os algoritmos “aprendam” suas necessidades também baseados em algumas dicas que o Instagram também deixou:

  • Escolha seus amigos mais próximos. Você pode selecionar seus amigos próximos para histórias. Isso foi criado para permitir que você compartilhe apenas com as pessoas mais próximas a você, mas também priorizaremos esses amigos no Feed e nas Stories.
  • Silencie as pessoas nas quais você não está interessado. Você pode desativar o som de uma conta se quiser parar de ver o que ela compartilha, mas hesita em deixar de segui-la totalmente. Dessa forma, as pessoas não saberão que você as desativou.
  • Marque as postagens recomendadas como “Não tenho interesse”. Sempre que vir uma recomendação, seja no Explorar ou no Feed, você pode indicar que “não está interessado” naquela postagem. Faremos o nosso melhor para não mostrar recomendações semelhantes no futuro.

Conclusão

Você entendeu neste post como é que os algoritmos do Instagram funcionam e como eles classificam o que você vê na rede social. Eles se baseiam nas interações que você faz e nos interesses que você tem. É um processo praticamente automático, mas você também pode ajudar os algoritmos.

Espero que este post tenha ajudado você a entender melhor os algoritmos, como eles funcionam, e como a maneira que você usa o Instagram influencia o funcionamento de todo esse mecanismo, afinal, essas informações são essenciais para quem quer ter um bom domínio da rede social. E que dão o máximo de relevância ao que você vê por lá.

No próximo post vou explicar a lenda urbana mais famosa do Instagram e que incomoda muita gente: o shadowbanning. Enfim o Instagram explicou melhor o que é essa lenda!

Então, não perca o próximo post desta série! Afinal essa última dúvida, também esclarecida no post do Instagram, é uma dúvida que todo mundo quer saber.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Novidade no Close Friends do Instagram Gravação de áudios com pausa no WhatsApp Comunidades no WhatsApp? IGTV agora é Instagram TV Instagram enfrenta nova instabilidade