A TAL DA ADMIRAÇÃO

Voltando a já quase subaproveitada categoria dos pensamentos, vou falar de uma coisa que sempre moveu parte das imagens e […]

Voltando a já quase subaproveitada categoria dos pensamentos, vou falar de uma coisa que sempre moveu parte das imagens e mensagens deste blog, para não dizer todas: a admiração. Trouxe três frases sobre o que é necessariamente esse sentimento que é a admiração, frases essas que coloquei ontem no meu Twitter, e hoje decidi falar mais da admiração.

Esta frase, por exemplo, deixa implícita o que é essa tal admiração. O que é essa tal admiração mesmo?

"A admiração é amor congelado." (Françoise Sagan)

Admirar é reconhecer as qualidades de uma pessoa. É encontrar nela aquilo que você é, e por isso gostar muito. Para o autor dessa frase, admirar é um reconhecimento.

"Admiração. O nosso reconhecimento cortês de que outra pessoa se assemelha a nós." (Ambrose Bierce)

Mas, para os tímidos que nem eu, se esconder não esconde sua admiração. Pelo contrário, a revela. Por isso mesmo as pessoas descobrem sua admiração pelas suas atitudes, pelo silêncio. Nem precisa falar; as pessoas adivinham. E olha que não sou o único que pensa assim sobre essa tal admiração e como ela tenta se esconder, mas nem sempre consegue:

"Não são as palavras, mas é o silêncio que revela a grande admiração." (Aulo Gélio)

Grandes pensadores já admiraram, e por isso mesmo definiram o que é a admiração melhor do que eu. Falar do que é é fácil, sentir a admiração é uma coisa que nem as palavras conseguem descrever. Mas a melhor das admirações é aquela que de simples admiração evolui. E para um sentimento bem maior do que a admiração em si. Pois como diria Nietzche, numa frase que já fez parte da lateral do blog, há uma inocência na admiração: é a daquele a quem ainda não passou pela cabeça que também ele poderia um dia ser admirado.

E, como já disse, quem nunca admirou alguém na vida, não é?


Receba os posts do site em seu e-mail!

Toda vez que um post for publicado no site, você irá receber na hora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Antes de deixar o seu comentário, leia a Política de Comentários do site.

Luneta Sonora

Um podcast sobre tudo e o nada ao mesmo tempo.
  1. Luneta Sonora 127: Sério que eu esqueci dos três anos do podcast?
  2. Luneta Sonora 126: Se eu esqueci de alguma coisa, eu não me lembro
  3. Luneta Sonora 125: Como eu esqueci de oito desenhos?
  4. Luneta Sonora 124: Que legenda este episódio merece?
  5. Luneta Sonora 123: A velha rotina está de volta
  6. Luneta Sonora 122: Nunca pode ser tarde, mas tem sido tarde

Assine A Luneta

Receba os posts do site em uma newsletter enviada às segundas, quartas e sextas, às 8 da manhã.