Image

Cada elemento que me representa

A ideia do desenho de sábado era reproduzir cada elemento que me representa no aniversário de João Pessoa. E nada mais justo do que representar o lugar de onde eu vim e de onde eu falo.
, , ,

A folha 079 do terceiro caderno de #96folhas foi especial. Como a ideia era reproduzir cada elemento que me representa no aniversário de João Pessoa, nada mais justo do que representar o bairro de onde eu vim e de onde eu falo. E cada elemento que eu representei no desenho traz significados.

E sim, o desenho trouxe um nome em inglês por conta de um posicionamento que eu adotei ao postar as artes, que era em vez de usar músicas instrumentais, usar músicas que as pessoas ouvem e que atravessam gerações. Foi nessa que eu pensei de cara em usar a música We Built This City, da banda norte-americana Starship, música de 1985, e pensei logo “esse vai ser o nome do desenho”.

A minha intenção era apresentar o lugar de onde eu ajudo a construir a cidade, afinal, não é apenas do meu bairro, mas também é dos demais bairros que vem as pessoas que ajudam a construir a cidade, vindos de lugares que talvez muita gente nem conheça direito, mas que da cidade fazem parte.

Mas eu quis trazer os elementos do meu lugar.

A folha 079 do terceiro caderno de #96folhas trouxe elementos que me representam.

A caixa d’água abastece os bairros do Cristo e do Rangel e representa de certa forma o elo que os une, já que é um elemento que ambos podem ver de longe. E isso também passa por suas longas ruas, representadas pelas linhas pretas abaixo da caixa d’água. Tudo isso passa a sensação de profundidade que eu queria transmitir.

Não para menos, trouxe uma parte verde do lado esquerdo, representativa da Mata do Buraquinho, uma das maiores reservas urbanas de Mata Atlântica do país, que representa a vista da cidade pelo verde. E quando eu digo que a cidade precisa se conhecer da mata para lá, é dessa mata que eu estou falando.

E ao fundo, o complexo esportivo composto pelo Estádio Almeidão e Ginásio Ronaldão, que formam a parte que nos projeta como parte da cidade e parte do estado. Porque mesmo que você não saiba onde fica o Cristo Redentor, você sabe que está nele ao pisar na área do estádio. Que se torna muitas vezes um ponto de encontro.

E foi assim que eu quis representar o meu lugar no desenho 079 do #96folhas. Quem sabe faça isso outras vezes. Ou em outros cadernos, mesmo nesse terceiro caderno, que está a 16 folhas de sua conclusão. Demonstrando de todos os modos que eu, do meu jeito, ajudo a construir esta cidade.


Receba os posts do site em seu e-mail!

Toda vez que um post for publicado no site, você irá receber na hora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Antes de deixar o seu comentário, leia a Política de Comentários do site.

Luneta Sonora

Um podcast sobre tudo e o nada ao mesmo tempo.
  1. Luneta Sonora 127: Sério que eu esqueci dos três anos do podcast?
  2. Luneta Sonora 126: Se eu esqueci de alguma coisa, eu não me lembro
  3. Luneta Sonora 125: Como eu esqueci de oito desenhos?
  4. Luneta Sonora 124: Que legenda este episódio merece?
  5. Luneta Sonora 123: A velha rotina está de volta
  6. Luneta Sonora 122: Nunca pode ser tarde, mas tem sido tarde

Assine A Luneta

Receba os posts do site em uma newsletter enviada às segundas, quartas e sextas, às 8 da manhã.