ONDE VOCÊ MENOS IMAGINARIA: A HISTÓRIA DOS CARROS DE NOVELA

A novela dos carros das empresas Transnacional e Reunidas com as pinturas originais das empresas terminou e todo mundo já sabe muito bem qual é a finalidade desses carros: renovar linhas que passam a trabalhar com a dupla função. Justamente por isso, não era esperado que a renovação das empresas passasse por linhas conhecidas, como 510, 301, 1500, 5100… Muito pelo contrário: são carros zero para linhas até então acostumadas a receber repasses das empresas, justamente pela mesma justificativa da medida: não tem a mesma demanda e rentabilidade de linhas como as mencionadas.

Além disso, a empresa não removeria cobradores de ônibus que já rodam com o posto de cobrador, achando melhor comprar veículos zero quilômetro já sem ele. Com isso, a renovação de 2015 começa atingindo linhas cujo sonho de receber um carro zero parecia impossível.

Os veículos estão emplacados em Natal – por favor, entendam: estão emplacados, isso não quer dizer que no cumprimento de sua vida útil na cidade, em média de 1 a 3 anos depois da compra, possam ir de imediato para a capital potiguar. Pode ser que a empresa tenha outros planos para os ônibus no decorrer dos anos.

Voltando ao assunto da escalação dos ônibus, eles começaram a rodar no dia 11 de janeiro em três linhas: 304-Castelo Branco/Pedro II, 2307-Penha/Rangel-Pedro II e 3207-Penha/Pedro II-Rangel.

304 – como já era de se imaginar

A linha 304, durante toda sua existência, recebia repasses e carros usados de outros estados. Até antes dessa renovação, toda a sua frota era composta de ônibus usados do Rio de Janeiro. O último – para não dizer único – carro zero que ela recebeu, e do qual se sabe, foi o carro 0784, um Torino de 2010 que hoje encontra-se em Campina Grande como 0708, trocado em um OF-1721 Bluetec5 que ocupou a mesma numeração na mesma 304. Carro esse que voltou para Campina Grande como 0724.

Desde a compra dos carros e a confirmação de que rodariam aqui, a linha 304 sempre foi cogitada para circular com dupla função. E isso de muito tempo.

2307 e 3207 – Renovação histórica da Penha

A renovação das linhas da Penha – 2307 e 3207 – já entra para a história, pois é a primeira vez que a área da Penha recebe carros zero quilômetro. Nem nos tempos de 207 isso aconteceu – muito menos nos tempos que a linha era operada pela Nossa Senhora das Neves, nos anos 1980.

Elas sempre viveram de repasses – e foram as últimas linhas da Transnacional a receberem ônibus adaptados. Conhecida por serem as últimas linhas a receberem um modelo da empresa – receberam o primeiro Torino 2007 4 anos depois da compra do modelo pela Transnacional, e ainda sim carros de anos 2009 e 2011 – passam a ter Torino 2014 como titulares já 2 meses e meio depois do início das operações do modelo na empresa.

Além dos próprios fatores comuns as demais linhas sem cobrador, outro principal motivo para as linhas 2307 e 3207 literalmente subirem de divisão na empresa está no itinerário. Já passavam no Mangabeira Shopping quando este era ainda um canteiro de obras. Agora que está pronto, já não justificava mais que as linhas rodassem com repasses – fator que elevou outras ex-linhas de segundo escalão como a 603, por exemplo.

204 – Oi?!

A linha 204 já era uma das principais do corredor 2. Já recebeu carros zero quilômetro em anos anteriores. O percurso curto da linha deve explicar porque as linhas passaram a ser sem cobrador – demanda é que não pode ser.

Os últimos zeros da linha foram os carros 0755 e 07146, mas ela perdeu os dois ônibus para as linhas 2514 e 5204, respectivamente. No meio do caminho, perdeu o carro 07129, recuperado um ano depois. No meio do caminho, uma frota caindo pelas tabelas. Carros como 0721 e 0738 já não estavam mais tão impecáveis.

Com renovações que não passavam de 10 a 20% anuais (1 a 2 carros zero por ano), a linha foi renovada em 100% no sábado. Roda com cinco veículos até o fim de janeiro, quando retoma os seis diários. Com a renovação, volta ao patamar de 2013, com todos os ônibus adaptados. Tinha quebrado isso com o antigo 07130, que não era adaptado, e substituiu o 0755 no 204.

201 – A lenda de carro zero

Antes ia até o atual CAC. Nos anos 1980 assumiu o nome Ceasa, e posteriormente, seu número 201. Tornou-se uma verdadeira lenda. E tão lendária como a linha 201-Ceasa, eram os repasses que iam parar lá. Sempre de carros com 3 a 4 anos de uso. Até ontem, somente um carro conseguiu o feito de ser titular zero quilômetro da linha: o carro 07193, em 2010.

Cogitada para a dupla função há tempos, a linha mais antiga do corredor 2 foi 100% renovada. Percurso curto e demanda média? Não só isso, concorrência: as linhas 2501 e 5201 dividem o itinerário com a linha no Cristo/Rangel, diminuindo ainda mais a já mediana demanda do Ceasão, enquadrando a linha de vez como credenciada a rodar só com o motorista.

O Ceasão de cara nova começou a rodar ontem.

402 – Conta-gotas

A primeira linha da Reunidas pessoense a rodar sem cobrador foi a 402, curta e de demanda média e que, assim como o 201, tem que enfrentar concorrência forte. No caso do 402, a concorrência em questão é a da linha 401-Altiplano, que termina por deixar a demanda da Beira Rio com a linha da Unitrans. A qual não chega aos pés do que o 401 carrega.

A linha 402 vivia de repasses, mas vira e mexe, recebia UM zero perdido, literalmente era renovada a conta-gotas com zeros, os quais dá para contar nos dedos em 20 anos de Reunidas: Em 2002, recebeu o 0870, um Viale 1721 E2; em 2003, o carro 0862, igualmente Viale 1721 E2. E depois de um hiato de sete anos – e quando os dois carros já estavam há tempos em Natal – a linha recebia o seu último zero até então: o carro 0832, um Torino de 2010, OF-1722M.

Os últimos repasses da linha haviam sido os carros 0828 e 0878, Torinos de 2009 que vieram das linhas 106 e 107, respectivamente. Assim como o 204, a linha encontrava-se com carros aquém da importância da linha. Junto a eles também estava o carro 0860, Viale OF-1722M de 2008, que agora passa a integrar a reserva da empresa.

A linha fica com a sequência 105-109, que é liberada de Cabedelo, fazendo sua estreia no sistema municipal.

Publicado no Portal Ônibus Paraibanos em 20/01/2015, sob o título “A renovação mais comentada do Grupo A.Cândido já roda. E em linhas que você jamais imaginaria“.

NOTA: Sabia que esses carros renderiam uma novela, mas não imaginava que seria tanto e para tanto. Mas isso é assunto para outros posts.

Compartilhe este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *