Na quarentena, uma madrugada igual as outras

Poderia dizer que não seria uma madrugada igual as outras no meio da quarentena, mas bem, tô fazendo o possível para que não seja. E eu nem sei como é que eu vou conseguir, mas eu vou. Vamos lá.

Cuidar da página, só ela mesmo… Tô perto dos 4 mil posts e estabeleci comigo mesmo que posso conseguir chegar a essa marca ainda essa semana, mês de março terminando e abril começando, como sempre, de novo, com um dia igual ao outro, mas sempre um dia de cada vez.

Fora que não saio de casa vai fazer duas semanas por motivos óbvios, e pelos mesmos motivos óbvios não pretendo sair dela tão cedo – vocês irão entender porquê.

Coloquei um monte de rascunhos aqui no blog e tô reformando as páginas estáticas. Algumas já estão arrumadas e outras vou ajeitando ao longo da semana. A meta é cuidar do blog para entrar ainda mais atualizado nesse mês de abril.

O qual não sei como é que vou sair dele. Mas de algum jeito vai ser produtivo. Ah vai.

Se tem que ter algum jeito de tornar um período difícil como esse mais produtivo e menos entediado, só consigo encontrar aqui mesmo.

Enquanto isso, segue a quarentena. Porque o importante é não pegar o tal do corona. Ainda mais eu. E um dos rascunhos que guardei vai explicar um pouco melhor um pouco isso.

Porque ainda que seja entediante a princípio, a madrugada precisa ser realmente igual as outras, para o meu próprio bem e do meu semelhante. Mas tô em pleno equilíbrio e é isso que importa.

Pode crer, vai dar certo.

Compartilhe este post