Image

Eu nunca senti tanto calor na vida (literalmente)

Faz uns 60 anos que a temperatura média de um dia no lugar onde eu moro não era tão quente. Só isso explica o calor como eu nunca senti na vida. Literalmente.

Estas aspas no título do post explicam tudo o que eu tenho passado nos últimos dias. Eu só não, a cidade inteira. Só por aí esse não seria um destaque aleatório de ontem. É o que a gente sente ontem, hoje, enfim, no verão inteiro. Eu nunca senti tanto calor na vida, e todo dia tem sido assim. E olha que eu comecei a escrever este post ontem.

Quando eu digo que eu nunca senti tanto calor na vida, eu digo isso literalmente, como bem diz as aspas, afinal, a última vez que a temperatura chegou nesse nível onde eu moro foi em um tempo distante demais. Demais até para quem acha que jamais sentiria tanto calor, mas dessa vez, eu nunca senti tanto calor assim literalmente, voltando a usar essa palavra, porque existe um bom motivo.

E por que literalmente? Porque anteontem foi o dia mais quente em João Pessoa desde 1969. Nem eu, nem meus irmãos mais velhos sentiram tanto e nem sei se a minha mãe, que na época era adolescente, se lembra disso. Efeitos do tal do El Niño, que deixou um rastro de calor não só aqui, mas em todo o país.

Mas não dá para colocar só na conta de um fenômeno meteorológico que esquenta as águas do Oceano Pacífico a culpa de tanto calor. Afinal, esse é um fenômeno cíclico, uma vez ou outra acontece. Não deu para imaginar a intensidade disso. Mas quem poderia imaginar que não temos culpa de tudo isso como humanos?

Afinal, tudo é resultado de consequências, como a forma que nós consumimos, a forma que nós preterimos as árvores, que poderiam aliviar um pouco tudo isso, a forma como a gente polui. Isso tudo é o efeito de aquecimento global, e não adianta fingir que ele não existe. Ele está aí, e a gente está sentindo um pouco disso agora.

Esperando o momento que a temperatura baixe um pouco. Quando isso vai acontecer? Ainda tem mais um mês e meio de verão, se é que as temperaturas respeitam as estações do ano nesse tempo que nós vivemos.


Receba os posts do site em seu e-mail!

Toda vez que um post for publicado no site, você irá receber na hora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Antes de deixar o seu comentário, leia a Política de Comentários do site.

Luneta Sonora

Um podcast sobre tudo e o nada ao mesmo tempo.
  1. Luneta Sonora 126: Se eu esqueci de alguma coisa, eu não me lembro
  2. Luneta Sonora 125: Como eu esqueci de oito desenhos?
  3. Luneta Sonora 124: Que legenda este episódio merece?
  4. Luneta Sonora 123: A velha rotina está de volta
  5. Luneta Sonora 122: Nunca pode ser tarde, mas tem sido tarde
  6. Luneta Sonora 121: Um dia de recados soltos

Assine A Luneta

Receba os posts do site em uma newsletter enviada às segundas, quartas e sextas, às 8 da manhã.