CIDADE, OLHE POR NÓS

O meu desejo de Feliz Ano Novo de hoje vai para o lugar de onde irradio minhas ideias, minhas artes, meus sonhos ao mundo. A um lugar que tem tudo e ao mesmo tempo nada. Um lugar onde, apesar dos avanços a contar nos dedos, ainda tem muito a contribuir para o futuro de um conjunto chamado João Pessoa. Um lugar que certamente será lembrado no próximo ano por motivos óbvios e muitas vezes esquecido e até ignorado pelo resto deles. Aos quase 18 mil habitantes do Rangel, junto aos quase 36 mil habitantes do Cristo Redentor, que na geografia são dois lugares diferentes mas na essência são um só, um desejo de Feliz Ano Novo. E para a cidade que nos cerca, que não nos esqueça. Olhe por nós.

A um lugar que só está de pé graças a batalha diária de pessoas que aqui escolheram e aqui vivem, que movimentam a economia e pagam seus impostos, sabendo que pouco retorna para seu bairro ou para os mais distantes. Que sabe que nenhuma luta é uma luta se não houver dificuldades, não somente as que a vida impõe, mas que os homens colocam por querer colocar. Que lembrem que somos também um mercado consumidor considerável e que muitas vezes, se desloca para justamente consumir. Aos que aqui moram, o desejo que se unam por um lugar melhor e que pode ser melhor do que já é para nós. Para aqueles que afim de comemorar o próximo ano no status de autoridade querem aqui passar, que não nos esqueça. Olhe por nós.

A um lugar que não tem muitos serviços básicos, que não tem o direito de movimentar seus recursos em seu próprio bairro por ausência de serviços bancários, desejo o sonho de que o lugar onde vivo se fortaleça. A um lugar que tem o direito negado de comprar a passagem de todos os dias para se deslocar até outros pontos da cidade, e que tem que sair daqui para ter esse direito, o sonho de que o lugar onde vivo mova-se para reinvidicar o que aqui falta, justamente porque não basta ter tudo se às vezes tudo que precisamos não está ao nosso alcance, e para isso seja necessário daqui sair. Para aqueles homens da lei e do dinheiro, desejo que lembrem-se que nós existimos, que não nos esqueça. Olhem por nós.

A um lugar que, justamente pela ausência de muita coisa, é obrigado a enfrentar obstáculos para daqui sair, e dar voltas ao mundo para chegar a um lugar que fica até perto de você, o desejo de que lute e reinvidique por uma melhor mobilidade. Que não enfrentemos dificuldades nem obstáculos pelo direito de ir e vir, e nem precisemos passar por labirintos apenas para ir até um caminho muitas vezes reto ou próximo. Que nenhuma barreira nos seja imposta e que nossos direitos sejam conquistados e respeitados. Aos homens que disso cuidam, que não nos esqueça. Olhem por nós.

Somos parte da cidade onde moramos, somos dois em um, somos 18 mais 36 que dá 54. Somos muita gente que sonha, que luta, que trabalha, que realiza, que ajudou a construir este lugar, com ele criou identidade e que aqui quer criar seus filhos e formar suas gerações. A você que mora no Cristo ou no Rangel, um Feliz Ano Novo. A você que mora em outros bairros da cidade e sente as mesmas necessidades, este texto também é para você. Para te inspirar a lutar pelo lugar que você vive e conhece muito bem, pois você sabe o que passamos, e talvez passe por coisas piores. Mas todos nós podemos nos ajudar. E da mesma maneira que não esqueceremos de você, que não nos esqueça. Olhe por nós.

João Pessoa, damos o máximo de nossa contribuição para que você seja o que é. Como nossos vizinhos ao redor também ajudam. Por nós e por eles, espero que nos dê a possibilidade de um futuro melhor. E é por ser parte de um lugar que nasci e aprendi a amar, te peço, em nome da minha comunidade, que não nos esqueça. Olhe por nós.

Compartilhe este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *