FRIO NA ESPINHA?

Como não esquecer do meu primeiro – e único – Enem? Único porque eu entrei na faculdade por causa da nota que eu tirei. Passou dos 620 pontos. E foi justamente no ano de 2009, primeiro em que as provas duravam dois dias. E aquele do vazamento, que levou ao adiamento da prova. Foi uma loucura isso.

Diante do noticiário, de toda a expectativa em cima dessa prova e que naquele ano eu estava terminando o ensino médio já ciente do que queria – e não sei se vocês sabem, este blog já existia naquela época, tinha só um ano -,era lógico que não dava para se esquecer dos dias da prova.

Mas se eu tremi em um daqueles dias, não foi por causa da prova.

Tremi sim. Mas de frio.

Fiz a prova no IFPB de Jaguaribe. Me colocaram numa cadeira bem em frente ao ar condicionado da sala. Ligaram no máximo, tava me sentindo na Sibéria. Tava tremendo tanto que o fiscal notou que eu tava passando frio. Me mudou de lugar.

Mas consegui fazer aquela prova como qualquer outra. No fim, obtive quase 600 pontos e consegui entrar numa faculdade – a de Publicidade e Propaganda – e o resto é história.

Do ar condicionado e do vazamento, você acha que eu ia me esquecer do meu primeiro – e único – Enem?

Se você leu isso tudo e vai fazer o exame, boa sorte. É um ano inteiro que você estudou que vai valer pela vida inteira. Não precisa sentir aquele frio na espinha, vai dar tudo certo.