Festas juninas em casa, mais do que nunca

Ok, estamos em junho e… No meio do caminho tinha uma pandemia, tinha uma pandemia no meio do caminho. Um coronavírus que vaga por aí literalmente nocauteou todo e qualquer evento de março até vai saber onde. Para evitar aglomerações, festas foram canceladas. O São João como você conheceu ficou na lembrança. Shows viraram lives e os artistas agora vão cantar para o mundo. As festas juninas vão ser – mais do que nunca – em casa. Em família.

E de preferência sem fogueira. Estamos lidando com uma doença respiratória – lembre-se: a COVID-19 causa entre outros sintomas falta de ar e tosse. Para quem está se tratando isolado em casa, fumaça é um agravante. Mais do que não se reunir, é não provocar mais problemas para quem já pegou a doença – fora as outras doenças respiratórias que são comuns na época e em alguns casos, levam pessoas para os hospitais, e sobrecarga é tudo o que o sistema de saúde não quer nesse momento.

Choque de realidade

O que estamos vivendo neste ano é mais do que um novo normal, é um reaprendizado de comportamentos, simbolizados por cada data comemorativa que atravessamos em quarentena, cada momento de redescoberta que nós vivemos. A gente está passando por isso porque precisamos justamente disso: sobreviver. E sobreviver para contar novas histórias e comemorar o que comemoramos de novas maneiras.

Afinal, o que é redescobrir? O que é diferente? Vamos pensar nisso nesse mês de junho, que vai ser diferente de todos os meses de junho que vivemos na vida. Da necessidade de se manter o ar vivo e limpo não somente para nos protegermos, mas também de manter a saúde de quem já passou pelo coronavírus e está continuando o seu tratamento em casa. É de não transformar casos leves em graves. Portanto, que se evitem os fogos pelo menos por esse ano.

Nesse mês, vamos redescobrir novas formas de comemorar as festas juninas. Em família. Juntos e separados ao mesmo tempo.


Para quem não reparou na referência da imagem do post, é essa referência aqui. Vira e mexe vou começar a usar umas coisas do meu acervo para ilustrar os posts, criando assim aquele crossover de todas as épocas do blog. Nada como umas referências…

Compartilhe este post