BALANÇO DA PRIMEIRA LISTA DE DESEJOS – 2020

Em 2016, por decorrência da eleição municipal, criei três listas de desejos, afim de saber quais deles iriam ser realizados nesses quatro anos. Pois bem, chegamos quase lá – setembro é a meta. E até lá, como estão os desejos das listas?

Começamos pela primeira, que é esta aqui do link. Pegamos a lista e riscamos as metas consideradas cumpridas. Eis elas:

Acho que aqui evoluímos. De meia meta no último balanço, para quatro meias metas cumpridas. Estamos evoluindo aos pouquinhos, continuem assim!

Relembremos o balanço anterior sobre as vias asfaltadas:

Foram asfaltadas entre 2017 e 2018, além da São Judas Tadeu, a Souza Rangel e a Elias Cavalcanti de Albuquerque. Outras, como a São João e a José Francisco da Silva, permanecem com o mesmo asfalto de sempre. Fizeram tapa-buracos até.

Balanço anterior, de outubro de 2018.

São João já foi asfaltada. O recapeamento foi feito no final do ano passado. A Rua João Barreto Filho também foi recapeada. Além dela, ainda teve asfalto novo na José Gomes da Silveira (outra rua que acreditava-se que nunca iria receber asfalto novo), que é a via que termina como Xavier Júnior em Cruz das Armas. A obra, segundo a Prefeitura, foi para oferecer uma opção de tráfego direto entre o Cristo e Cruz das Armas. Outra via que liga os dois bairros, a José Tavares, também recebeu nova camada de asfalto.

As vias onde passam o ônibus 204, José Francisco da Silva e Fraternidade, seguem sem asfalto novo. Para esta primeira, há licitação onde esta via está incluída, mas nenhuma obra foi feita ainda. Além destas, ainda falta asfalto novo na Antônio Teotônio – rua onde fica o CT Maravilha do Contorno – e Fernando Cunha Lima, que virou uma via principal de trânsito por causa do Viaduto do Geisel, visto que os motoristas descobriram que tal via leva até a José Tavares, fazendo com que se vá do Geisel para Cruz das Armas sem passar pela BR-230.

Do asfalto para a pedra

Quanto a pavimentação de ruas do bairro do Rangel, evoluímos também: a parte que faltava da Osvaldo Lemos foi pavimentada no meio do ano passado. A parte que faltava da Rangel Travassos está em obras. Há previsão para a pavimentação da parte que faltava da Mourão Rangel, mas nada de obra até agora.

O que falta ser pavimentado no Rangel se resume “a parte que faltava”, por causa da mania que as gestões tem de calçar ruas à prestação. Agora faltam – e para isso não tem previsão de obra:

  • 14 de Julho – do Varejão do Preço até o final;
  • José de Melo Lula – da Souza Rangel até a São Geraldo;
  • São Geraldo – toda ela;
  • Rafael Mororó – da Bom Jesus até a São Geraldo;
  • Luzia Pedrosa – há uma parte desta via que começa na Abdias dos Santos Passos e termina na São Geraldo. E tem o mesmo nome da via do Cristo Redentor – como uma continuidade desta.

Sem jardinagem, mas com evolução

As praças que existem no Cristo e no Rangel ainda devem melhorias de jardinagem e manutenção, mas novas surgiram nesse meio tempo: a Praça do Inocoop e uma em construção no Bela Vista.

Na Nereu de Morais Coelho, o único resquício da rua que se deseja foi feito na lateral de um edifício – por sinal o mais alto do bairro do Cristo, com oito andares.

Ê Feira…

De todos os desejos da lista, um pena pra sair daí: é o Mercado Público do Rangel. Nenhuma intervenção pesada está prevista para o equipamento, mas sim uma obra de “serviços de manutenção corretiva, Reparação, Adaptação e Modernização de instalações, estruturas e ambientes” em seis mercados públicos de João Pessoa, dentre eles o do Rangel.

E não espere muita coisa; a obra no Mercado Público – orçada em quase 55 mil reais – deve ser uma reforma básica no galpão que fica no centro da feira. Isso é o que deu a entender a lista de materiais que está nos anexos do edital de licitação – que qualquer um pode ver no Portal da Transparência.

De resto, continua a bagunça – inclusive nos arredores.

Mais perto…

A parte de “Melhorias nas escolas municipais” pode ser uma meia meta concluída graças a uma obra no maior das escolas municipais do Rangel, a Dumerval Trigueiro Mendes. A obra está orçada em 1 milhão de reais – informação essa aposta na placa de obra que está em frente à escola, para todo mundo ver.

Para valer isso tudo, a obra deveria ser pesada, mas está, vamos dizer assim, caminhando. Era possível ver operários trabalhando no ginásio e um novo poste com transformador foi instalado. Agora falta ver o resto.

Se aqui caminhamos bem, vamos ver como ficaram as outras duas listas nos próximos posts.

Confira aqui as listas de desejos do Blog Josivandro Avelar:

Compartilhe este post