A média, ah a média…

Tem uns dias que não venho aqui, não é? É aquilo: tem dias que você quer escrever um monte de coisas, em outros você não tem nem vontade, mas se garante. Mas o aproveitamento de quarentena está bom, dentro da média de 15, 20 posts por mês.

Sair está mais perto do que longe. Só que para isso, você tem que pensar, pensar e pensar para não fazer besteira. Não foi hoje, não será amanhã, talvez seja semana que vem… Mês que vem. Mas lá fora a rotina está despertando.

Esses quatro meses estão ótimos para isso. Deixando acumular a vontade. Pensando em que mundo vou encontrar lá fora. Vai ser a coisa mais maluca do mundo? Vai. Mas preciso estar psicologicamente preparado. Mas já imaginando…

A rotina está dentro da mesma média com a qual eu escrevo aqui. Se o blog está parado, não quer dizer que eu esteja. Fiz umas coisas, elaborei outros planos, mas isso eu conto depois. Esse é um tempo que você precisa ter para acumular conhecimento.

Parei um pouquinho, e aqui estou, com histórias para contar e mais projetos planejados e executados. O importante é que estou dentro da média de histórias.

E lá na frente ter histórias para contar. Porque é naquele momento que você acha que não tem paciência para escrever que você está construindo uma história. Que talvez seja melhor do que todas as outras. E assim você se mantém naquela média.

Ah, a média… Dentro dela, a gente tem a margem de contar histórias… E de ter tempo para vivê-las, porque sem viver, como contar?

Compartilhe este post