Que Orkut vai (ou quer) voltar?

O Orkut foi literalmente a iniciação de muitos brasileiros nas redes sociais. E de outras iniciativas que ultrapassariam o limite delas próprias. Este blog mesmo é fruto de coisas que nasceram por lá – e até é mencionado no primeiro post. Era como se eu imaginasse que uma hora as coisas iriam mudar e precisasse de um lugar fixo para manter as ideias sob o meu controle, para quem quisesse ver. Não só eu estava certo – e como eu era visionário! – como as redes passam, o blog continua. Ele tem o poder de atualizar e se atualizar.

A rede foi criada pelo engenheiro de software turco Orkut Buyukkokten e absorvida pelo Google, sendo extinta em 2014 quando o Facebook já dominava esse mercado, como o faz até hoje, seja por ela própria, seja por outros meios como o Instagram ou pelos aplicativos de bate-papo como o WhatsApp. A Meta – nome pelo qual a empresa Facebook se define hoje – redefiniu o conceito de rede social, transformando aquilo que conectava pessoas com pessoas em um negócio que conecta pessoas com marcas e influenciadores.

Tem vezes que você vê mais postagens de perfis de marca e influência do que necessariamente dos seus amigos e parentes. O que mudou então de dez anos para cá?

E assim, do mais absoluto nada…

Na mesma semana em que o Twitter foi comprado pelo bilionário Elon Musk, do mais absoluto nada o domínio orkut.com foi reativado pelo seu dono. Igual eu fiz com o blog que criei na época em que eu ainda tinha essa rede social como principal, que guardei o endereço como uma recordação de como as coisas começaram, a mesma coisa com o josivandroavelar.com (que hoje redireciona para este blog). No texto que é exibido no domínio, ele destaca essas conexões criadas pelas comunidades e da necessidade de construção de relações reais nas redes sociais, o que considera raro. O texto está em inglês e português, com direito a identidade visual da rede social da época em que foi extinta, lá nos idos de 2014.

O print da volta do domínio orkut.com.

O que, afinal, seria essa volta?

Ao formato que teve um dia? E como esse formato se adequaria ao momento atual, em que tudo é algoritmo? São coisas que terão respostas no futuro.

Se sabe que o fundador do Orkut até tentou uma nova investida nas redes sociais com o Hello, mas não deu certo, como se pode ver – e exibe mensagem quase idêntica se você for para lá nesse momento. Talvez uma tentativa de estruturar a rede social tal como ela já foi possa ser uma pista, mas tem poréns.

O Orkut era uma rede social usada proeminentemente em computadores. Daquele tempo que você esperava o momento para entrar em um e usar a rede social. Essa era a ferramenta que as pessoas usavam para se conectar com outras naquela década de 2000. E as comunidades deram muitos frutos – um exemplo é a comunidade Paraíba Bus Team, que deu origem ao site Ônibus Paraibanos, que mudou de nome no ano passado para Ônibus & Transporte. Pronto, ali surgiu de uma comunidade no Orkut.

Isso porque, quando as pessoas queriam ir mais além, ou iam para os chamados fotologs, ou criavam blogs. Foi nessa pegada que este blog nasceu e está no ar até hoje.

É importante lembrar que o que sobrou da rede social já não existe mais, nem as comunidades, nem tudo o que você fez. Isso era dos domínios do Google e já sumiu de lá em meados de 2017. Há até uma rede social brasileira com esse nome, mas não tem ligação com o Sr. Orkut, foi mais uma criação de entusiastas da rede social justamente na hype do saudosismo com ela.

Formatos e influências

A gente não sabe o que é. E sabe que algumas redes sociais, como o Instagram e o TikTok, cresceram pelo seu modelo simplificado de postar, curtir e compartilhar um formato, pois isso dá volume de visualizações e é assim que se criam influenciadores. O Orkut não era isso, nem muito menos o próprio Facebook era. Daí porque se cria influência nessas redes que citei no início do parágrafo.

Além disso, o Orkut não conseguiu se adaptar ao mobile, diferente do Instagram e do TikTok, que já nasceram nesse ecossistema. Qualquer rede social hoje tem esse desafio, até porque hoje usamos a Internet mais nos celulares do que nos computadores – outra dessas coisas que antevi e me adaptei.

Na realidade isso vem de muito tempo. O futuro que diz como será essa “volta” do domínio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sair dos grupos do WhatsApp sem ser notado? Seria um sonho? A semana no blog- 8 a 14 de maio Como usar as reações em mensagens do WhatsApp A semana no blog- 1 a 7 de maio Novidades em teste no WhatsApp em múltiplos dispositivos