Image

Porque as pessoas preferem o WhatsApp

O que faz as pessoas preferirem usar o WhatsApp a outros aplicativos de mensagens como Telegram e Signal?
,

O que faz as pessoas preferirem usar o WhatsApp a outros aplicativos de mensagens como Telegram e Signal?

Pergunta feita por este editor

O WhatsApp foi o primeiro aplicativo de mensagens por celular que as pessoas tomaram contato quando compram um smartphone, ainda que não esteja instalado por padrão. Eu já usei metáforas e analogias loucas na semana da cultura do arrodeio e eu vou usar de novo: é tipo quando a gente compra um computador e quer instalar logo de cara o Google Chrome. Qual a primeira coisa que você faz quando compra um celular, ou até um chip de celular? A sua resposta certamente é a mesma resposta de milhões de brasileiros que trocaram de celular, compraram um novo e por aí vai.

A força do hábito é uma coisa impressionante, e aí eu chego nos aplicativos concorrentes. Não é que um tenha vários recursos que o WhatsApp não tem e o outro tenha recursos que garantem a privacidade dos usuários, é a questão justamente do hábito, das pessoas usarem, da massa estar lá. Ninguém quer se mudar para uma casa que fica numa rua onde não more ninguém. Quer ter a garantia de que vai encontrar os seus amigos, os seus vizinhos, ter com quem conversar na calçada, reunir para uma manifestação ou vender online de uma forma simples.

O Telegram virou uma espécie de escape quando o WhatsApp cai ou é derrubado, mas nem a gama de funcionalidades que existe no aplicativo, algumas delas implantadas primeiro que no WhatsApp, consegue segurar os usuários, que voltam para o WhatsApp assim que este é restabelecido. Sabe quando a cada peripécia de Elon Musk muita gente ameaça sair do X? Encontram várias alternativas, mas sempre que a poeira baixa, o usuário volta para lá. Ainda que o X seja X, para muitos é o Twitter, e bem, é sobre o Twitter que estamos falando? O assunto aqui é outro!

O que segura os usuários no WhatsApp é a familiaridade que as pessoas têm com o aplicativo, a força do hábito mesmo. Ele sempre vai querer utilizar uma solução que vá entregar tudo aquilo que ele precisa no momento e espera que outras funcionalidades sejam adicionadas lá, por mais que elas estejam, por exemplo, no Telegram. Ou seja, não é porque as pessoas estão no WhatsApp que elas não querem que o aplicativo seja a mesma coisa de quando lá entraram: querem sempre que o aplicativo melhore e implante funcionalidades novas.

Quanto ao Signal, ele ainda é um aplicativo simples demais, e poderia ser um contrassenso dizer que as pessoas preferem a simplicidade do WhatsApp, ainda que ele entregue várias funcionalidades pedidas pelos usuários, quando existe um concorrente que entrega o mesmo de uma maneira mais simples e objetiva, mas esbarra em ter chegado muito depois. Ainda que seja uma alternativa considerada segura em termos de privacidade, ainda engatinha na preferência dos usuários que, como disse, esperam que seus amigos e vizinhos estejam lá.

Em linhas gerais, se a resposta dessa pergunta de hoje fosse dada em apenas uma linha, diria que seria a força do hábito e a familiaridade com o aplicativo, de modo que ele não quer largar o WhatsApp nem mesmo quando este passa pelos momentos mais difíceis, embora o usuário vá ali e já volte quando o aplicativo cair ou ficar instável. Ele se tornou uma parte integrante daquilo que a gente chama de comunicação essencial, a ponto da gente nem precisar pedir o número do telefone para ligar para alguém. E sim enviar uma mensagem no WhatsApp, coisa rápida. Por aí você entende.

Este é o tema “Conhecendo Você”, o primeiro post do dia no Site Josivandro Avelar, com perguntas que eu respondo sobre temas de autoconhecimento e cotidiano. Inicialmente elaboradas por inteligência artificial, as perguntas passaram a ser elaboradas por mim e pelo público através dos canais de contato e redes sociais.

Quer me conhecer melhor? Siga-me nas redes sociais abaixo:


Receba os posts do site em seu e-mail!

Toda vez que um post for publicado no site, você irá receber na hora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Antes de deixar o seu comentário, leia a Política de Comentários do site.

Assine A Luneta

Receba os posts do site em uma newsletter enviada às segundas, quartas e sextas, às 8 da manhã.