Image

Identidade artística em constante transformação

Você acredita que a identidade artística é algo estático ou em constante transformação? Por quê?

Você acredita que a identidade artística é algo estático ou em constante transformação? Por quê?

Pergunta gerada por inteligência artificial e respondida por mim

Minha identidade artística está em constante transformação. Quem disse que ela é uma coisa estática? Parte do meu estilo precisa estar firme para ser dinâmico de fato, afinal, se você muda demais, ninguém sabe como é a sua identidade de fato. Mas dentro disso, existe a dinâmica.

E essa dinâmica se adapta aos meios e aos cenários de momento, para refletir justamente o momento, o mundo e tudo o que eu estou passando agora. Sentimentos, sensações, até mesmo a minha ansiedade. Produto da minha mente.

Minha identidade artística traz as sensações que eu tenho e os momentos que eu passo. É a minha mente em movimento, de um modo que eu posso materializar.

E eu trago o resultado da materialização da minha mente todos os dias por aqui. Enquanto novas ideias acontecem, como reflexo de uma identidade artística que está em constante transformação.

Este é o tema “Conhecendo Você”, o primeiro post do dia no Site Josivandro Avelar, com perguntas que eu respondo sobre temas de autoconhecimento e cotidiano. Inicialmente elaboradas por inteligência artificial, as perguntas passaram a ser elaboradas por mim e pelo público através dos canais de contato e redes sociais.

Quer me conhecer melhor? Siga-me nas redes sociais abaixo:


Receba os posts do site em seu e-mail!

Toda vez que um post for publicado no site, você irá receber na hora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Antes de deixar o seu comentário, leia a Política de Comentários do site.

Assine A Luneta

Receba os posts do site em uma newsletter enviada às segundas, quartas e sextas, às 8 da manhã.

Clássicos da Luneta

Posts de anos anteriores para relembrar.