Image

Se lembra quando você não tinha nada para fazer?

Um dia eu não tinha nada para fazer. Hoje eu já acho que eu faço muita coisa e sempre me vem à cabeça desacelerar.

Queria começar este texto com essa pergunta. Um belo dia eu estava sem ter nada para fazer, e isso há uns bons anos. Talvez as coisas tenham começado a mudar quando eu entrei para a faculdade, aquele monte de trabalhos, tarefas e tal, e no fim você não sente mais saudade de fazer nada. Você sempre tinha coisas para fazer.

Aí aquilo tudo termina, e já que você não sente saudade de fazer nada, quer estar sempre ativo e fazendo alguma coisa. Não consegue arrumar um emprego porque as exigências parecem maiores do que aquilo que a faculdade ensinou, só ter curso superior completo não basta para eles. Mas você quer estar ativo.

E aí o que eu fiz? O meu próprio emprego. Peguei o meu então blog, as minhas artes, meus conhecimentos com construção de sites, todas as coisas que eu juntei na minha vida até aqui e contando. Queria fazer algo que eu me sentisse bem, e que não seria um trabalho qualquer.

E o que eu fiz com tudo que eu juntei? A minha própria empresa. Cá está o meu negócio que eu mesmo formalizei e sou até hoje o único empregado dela. E patrão, principalmente. Hoje esse “amontoado” presta um serviço relevante para meu bairro e para a minha cidade.

Hoje em dia, eu não me lembro de um momento que seja que eu não tenha nada para fazer. Muito pelo contrário. Reclamo até que eu não tenho tempo para fazer algumas coisas e que talvez o dia precise ter mais horas. E é claro, ter os meus momentos de descanso. Mas para mim, tá ótimo.

Um dia eu não tinha nada para fazer. Hoje eu já acho que eu faço muita coisa e sempre me vem à cabeça desacelerar. Em alguns momentos eu desacelero, em outros, eu faço o meu trabalho como eu faço todos os dias, em uns com a adrenalina de se fazer as coisas em cima do laço, em outros, com a tranquilidade de quem pode pensar melhor nas próximas pautas.

O que importa é não ter mais crises de ansiedade, como já tive e aprendi a controlar, e o mais importante de todas as coisas: ter uma noite de sono que compense e recarregue suas energias. E que no final do dia você diga “Deus, esse dia valeu a pena”. E parte para a próxima.


Receba os posts do site em seu e-mail!

Toda vez que um post for publicado no site, você irá receber na hora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Antes de deixar o seu comentário, leia a Política de Comentários do site.

Luneta Sonora

Um podcast sobre tudo e o nada ao mesmo tempo.
  1. Luneta Sonora 133: Sorteio das cores da rodada 133 da #FolhaColorida
  2. Luneta Sonora 132: Que tal mais um pouquinho de bastidores?
  3. Luneta Sonora 131: É feriado, mas eu tenho que gravar
  4. Luneta Sonora 130: Mais uma semana trazendo novidades
  5. Luneta Sonora 129: Um episódio organizado no meio da desorganização
  6. Luneta Sonora 128: Só mais um episódio com recados da semana

Assine A Luneta

Receba os posts do site em uma newsletter enviada às segundas, quartas e sextas, às 8 da manhã.