OS BACURAUS DA MADRUGADA

O sistema de ônibus de João Pessoa funciona em toda a sua regularidade até a meia-noite. Daí até cinco da manhã, entra em ação o Projeto Tetéu, composto por 12 linhas, cada uma com um veículo, que roda em itinerários proporcionais as áreas da cidade, bem como atendem áreas não habituais às linhas que fazem no resto do dia. O objetivo desse projeto é atender a quem trabalha durante a madrugada, sendo reforçada em caso de eventos musicais e culturais. Saiba como o sistema de transporte de João Pessoa funciona enquanto você dorme. E acontecem coisas que você nem sonha.

O canto das aves os batiza, em vários lugares do Brasil

O nome desse esquema na Prefeitura de João Pessoa é Projeto Tetéu. Mas nem você nem eu devem estar entendendo exatamente porquê. Buscamos explicações da origem dos nomes dados aos ônibus que circulam de madrugada, todos em comum envolvendo aves que cantam a trilha sonora da madrugada.

Tetéu é o nome dado em algumas regiões brasileiras a um pássaro chamado quero-quero. É a ave que com seu canto, alerta sobre a presença de um intruso em seu território, e na maioria das vezes, canta na madrugada, sendo sua trilha sonora.

A partir dessa ave, surgiu uma expressão no Nordeste para “passar a noite em claro”: virar tetéu. Daí o nome.

Em outros lugares do país, os ônibus que rodam de madrugada são chamados de bacuraus; o nome provém também de uma ave, também conhecida como curiango. O bacurau é uma ave de hábitos noturnos, que assim como o tetéu, também canta na madrugada.

E em outros lugares, esses ônibus são chamados de corujão, também em alusão a ave. Também explica o nome dado pela Rede Globo a uma sessão de filmes exibida no horário da madrugada desde 1985 (nos anos 1970, essa sessão já se chamou Sessão Coruja e Coruja Colorida).

O projeto Tetéu

O projeto existe desde meados de 1997, e desde então, 12 linhas compõem o sistema da madrugada. Na maioria dos casos, as linhas fazem itinerários maiores que os habituais, passando em locais não atendidos pelas linhas de costume. As linhas e seus itinerários extras são as seguintes:

101-Grotão

Durante a madrugada, tem o ponto final no Colinas do Sul.

104-Bairro das Indústrias

Não tem alterações em seu itinerário na madrugada.

108-Alto do Mateus

Não tem alterações em seu itinerário na madrugada. De 2008 até abril de 2014, era exclusiva do Projeto Tetéu.

118-Valentina

Durante todo o dia, roda apenas por Paratibe, mas quando cai a madrugada, atende também ao Muçu Magro.

203-Mangabeira/Rangel

Atende a Mangabeira por Dentro, além de sua área habitual.

301-Mangabeira/Pedro II

Atende a comunidade do Cidade Verde, além de sua área habitual.

504-Mandacaru

Não passa na comunidade Alto do Céu, tendo portanto seu ponto final na garagem da Mandacaruense.

507-Cabo Branco

Roda como P002, já que não trafega pela Epitácio Pessoa, e sim pela Avenida Beira Rio.

510-Tambaú

Não tem alterações no seu itinerário de madrugada. É a única linha do projeto que roda com dois veículos.

601-Bessa

Só roda de madrugada aos fins de semana, sem alterações no seu itinerário habitual.

1500-Circular e 5100-Circular

Apesar de rodarem com o letreiro comum (Circular-Manaíra Shopping), as linhas não passam neste estabelecimento durante a madrugada, tendo um itinerário completamente diferente do habitual.

A linha 1500, ao chegar na Getúlio Vargas, segue em direção à Lagoa via Terminal de Integração, de onde segue para a Epitácio Pessoa. De lá, vai direto ao Castelo Branco seguindo para a UFPB, onde passa no Centro de Tecnologia (e não no HU como habitualmente). Daí segue seu itinerário normal.

A linha 5100, ao sair dos Bancários, segue pela UFPB via Centro de Tecnologia (novamente, não no HU), de onde vai ao Castelo Branco direto para a Epitácio Pessoa. De lá segue para a Lagoa via Terminal de Integração, de onde segue para Cruz das Armas.

Em sincronia: organização do projeto

Durante a madrugada, operam 12 ônibus, que iniciam suas viagens ao mesmo tempo, a partir da meia-noite no Terminal de Integração do Varadouro. Todos eles usam a faixa do meio (a usada pelos ônibus de Cruz das Armas no resto do dia) como base. No momento em que todos saem, as portas do TIV são fechadas por medida de segurança. Como as cabines do terminal são fechadas por volta de 22 horas e abrem às 5h, existe uma parada de embarque na saída do TIV que só funciona no momento em que essas cabines estão fechadas.

Com isso, a entrada e saída do TIV só é feita a partir dos ônibus. Ou seja, quem quiser acessar o Terminal de Integração, tem que pegar um dos 12 ônibus, e só sair de lá a partir deles. Mesmo as portas estando fechadas, ainda há passageiros no TIV.

Os horários de saída dos bacuraus do TIV são meia-noite, 1:30, 3:00 e 4:30 da madrugada. A partir de 5 horas, começam a chegar os ônibus das primeiras viagens do dia, e a Integração é reaberta.

Os ônibus propriamente ditos

Como a demanda é extremamente restrita, os ônibus empregados no Projeto Tetéu são micrões, operando somente com motorista. Desde a unificação dos horários dos bacuraus, a Transnacional emprega ônibus fixos para essas linhas, já sem o posto de cobrador. Antes disso, qualquer carro da empresa podia ser bacurau.

Os carros usados para fazer linhas exclusivamente no sistema são 0731, 0751, 0757, 0771 e 07180. No resto do dia, são empregados em excursões e fretamentos, bem como qualquer um pode ser empregado como reserva do carro 0735 na linha I006. Aliás, o próprio carro 0735 pode ser empregado no Tetéu.

A Reunidas chegou a usar o carro 0808 como bacurau do 101-Grotão, mas este foi baixado mês passado, sendo substituído por um Torino 2014. Enquanto os carros sem cobrador da empresa não começam a circular, ela vai usando qualquer carro da frota, usando de um famoso recurso empregado por linhas intermunicipais, o “cobrador fantasma”, onde o carro roda com o posto de cobrador vazio.

A São Jorge emprega qualquer um dos seus ônibus sem cobrador para fazer as linhas 104, 108 e 118. Não há titularidade das vagas, nem mesmo nas linhas 108 e 118, que já são sem cobrador 24 horas.

Enquanto a Marcos da Silva não arruma outros micrões, o P002 é feito na maioria das vezes pelo carro 0933, o único dos veículos da empresa a rodar sem o posto de cobrador. Quando não, também emprega o sistema de “cobrador fantasma”.

A Mandacaruense emprega também, na maioria das vezes, o seu micrinho 0465 para a linha 504.

Assim a cidade se move, enquanto você dorme.

Publicado em 31/12/2014 no Portal Ônibus Paraibanos, sob o título “Enquanto você dorme, eles rodam“.

Compartilhe este post