Image

#ContentTalks: O que você quer saber que eu posso te responder?

Você já sabe que a partir desta semana, as perguntas do Conhecendo Você passaram a ser elaboradas por mim e em breve você pode me perguntar também. Mas como eu gerava as perguntas que fazia no ChatGPT ...

O “Conhecendo Você” é o primeiro post do dia no site. Todos os dias eu respondo uma pergunta relacionada a um determinado tema que eu tenho na minha cabeça e tenho vontade de responder. É um modo de você conhecer melhor o meu ponto de vista sobre determinadas coisas, daí o nome do tema. Ele substituiu o Daily Prompt, cujas perguntas eram geradas pelo Jetpack do WordPress.com.

Até a semana passada, todas as perguntas do Conhecendo Você foram geradas por prompts de inteligência artificial, na qual eu perguntava aos chatbots sete perguntas sobre um determinado assunto que ela faria para uma pessoa, de modo que eu respondesse a cada dia. Como eu trabalho sozinho no site, este era o meio que eu tinha de fazer as perguntas depois que as perguntas do Daily Prompt começaram se repetir depois de um ano.

O nome do tema veio do rótulo do primeiro prompt que eu fiz para o tema no ChatGPT. Essa ferramenta era usada justamente porque eu ainda estava estudando modos de estimular a participação das pessoas, o que era um objetivo antigo. Lembrem-se que eu trabalho sozinho em tudo: no site, nas redes sociais, produção de artes e tudo mais.

Desde ontem, as perguntas passaram a ser feitas pela minha inteligência, ou seja, eu mesmo estou perguntando para eu mesmo responder. Mais para frente começam as perguntas feitas pelo público das redes sociais, para as quais eu irei abrir caixas de perguntas no Instagram em um determinado dia da semana.

Antes disso, eu resolvi eu mesmo formular as minhas próprias perguntas, tanto que eu fiz dois lances nessas últimas semanas; um que está sendo respondido agora, que fala sobre como é difícil trabalhar com sites, e o próximo é sobre a cultura do arrodeio que existe no transporte público de João Pessoa.

Para diferenciar as perguntas feitas pela inteligência artificial das minhas e dos usuários, creditei ontem todas as 287 perguntas feitas até aqui (tem ainda as que estão aguardando no rascunho), que receberam – ou vão receber – rótulos como estes:

Pergunta gerada por inteligência artificial e respondida por mim
Pergunta feita por este editor
Pergunta feita por @lunetasonora

As perguntas que o público vai sugerir serão creditadas deste último modo. É um modo até de divulgar as próprias redes sociais dos usuários, mas também posso usar nome e cidade, por exemplo. Usei o user do Luneta Sonora como exemplo porque as redes sociais do podcast são a minha cobaia para tudo, mas eu quero que seja a sua.

Mais de 280 perguntas foram geradas por inteligência artificial, através de prompts do ChatGPT ou Google Gemini, mas qual o prompt que eu usei para gerar as sete perguntas? Lá vai:

Faça sete perguntas que você faria para uma pessoa sobre (insira aqui o assunto).

Por exemplo: quando eu queria sete perguntas sobre processo criativo, eu gerei o seguinte prompt:

Faça sete perguntas que você faria para uma pessoa sobre como ela lida com o seu processo criativo.

A partir deste prompt, eram geradas sete perguntas, que correspondem aos sete dias da semana, as quais são reunidas em um resumo no terceiro post do sábado. Muitas vezes eu gerava de novo e de novo para selecionar perguntas diferentes, de modo que nem sempre eram as sete perguntas do primeiro prompt, e daí eu fazia a seleção manual das perguntas ou até mesmo mudava algumas palavras.

As perguntas começaram a ser temáticas justamente porque as perguntas gerais, as primeiras que começaram a ser respondidas desse modo no Conhecendo Você, começaram a ficar repetitivas. Daí entravam os temas que eu domino ou convivo, como processo criativo, mídia, comunidade, ansiedade, entre outras coisas do meu cotidiano pessoal e profissional que eu queria compartilhar com as pessoas aqui no site.

Ainda assim, as perguntas, mesmo temáticas, começaram a ficar mais genéricas, de modo que eu fui perdendo a graça de respondê-las. Mas eu não descarto seguir usando o Gemini e o ChatGPT para gerar perguntas quando necessário. Para esses casos, dá para ter auxílio da IA. O que eu não posso nem jamais vou fazer, lógico, é deixar a inteligência artificial gerar um texto inteiro. Lembrem-se do nome do site e de quem escreve aqui.

É fato que a inteligência artificial é uma mão na roda para tudo, e de certo modo tem as suas polêmicas por motivos óbvios. Já testei todas as IAs possíveis por curiosidade e até postei umas imagens geradas por IA em posts no ano passado, em alguns posts de curiosidades sobre como seria a cidade do futuro.

Essas imagens não são e jamais devem ser classificadas como arte (sei, nesse momento estou sendo polêmico agora) e foram rotuladas como tal. E nunca mais quis usar, em nome justamente do que eu faço com as minhas mãos e tenho que valorizar, não só por mim mas por uma comunidade inteira que precisa ter o seu trabalho valorizado. E cá para nós, aquelas imagens eram bizarras demais.

Eu posso responder as perguntas de qualquer um e da IA. Justamente pelo fato deste ser um site autoral, com o meu toque pessoal. As perguntas podem vir de qualquer modo, mas as respostas sempre serão minhas. E é o que você está vendo a partir desta semana aqui no site, reforçando que sigo contando com a sua participação para juntos construirmos a nova fase do Conhecendo Você.


Receba os posts do site em seu e-mail!

Toda vez que um post for publicado no site, você irá receber na hora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Antes de deixar o seu comentário, leia a Política de Comentários do site.

Assine A Luneta

Receba os posts do site em uma newsletter enviada às segundas, quartas e sextas, às 8 da manhã.

Clássicos da Luneta

Posts de anos anteriores para relembrar.