A CONSTITUIÇÃO DA LAMPADINHA- PARTE 4: TIPOLOGIA

Um dos tópicos prontos da constituição da lampadinha, ou melhor dizendo, o Manual de Identidade Visual da Companhia Ideias, é a tipologia a ser empregada. É uma bem conhecida que está disponível em todos os computadores a partir do Word 2007 e que adotei-a quando fazia os primeiros documentos no computador de casa. E como disse no post “Candara Size 11” há exatamente um ano atrás…

A fonte Candara é a minha identidade gráfica e virtual e eu não hei de mudar de fonte tão cedo. Como a uso desde 2008, desde antes de o computador ter internet conectada, fui mexendo nas fontes e descobri essa. Depois comecei a aplicar nas mais diversas possibilidades, e a primeira delas foi quando criei o meu MSN. Desde que eu tenho MSN eu nunca troquei de fonte. E nunca usei nem vou usar Comic Sans. Sempre usei Candara.

A Candara virou desde então a minha tipologia preferida, e por consequência, minha identidade. A vantagem da utilização dessa tipologia é que ela pode ser encontrada na maioria dos computadores – se você tem no seu computador o Microsoft Office a partir do 2007, você tem essa tipologia.

Uma breve definição sobre o que é Candara na Wikipedia (já cheguei a postar tal definição em um dos posts do primeiro aniversário do blog):

Candara é um tipo de letra sem serifa e humanista a qual vem incluída com o Microsoft Windows Vista, Microsoft Office 2007 e seus visualizadores. As passadas verticais do tipo Candara mostram um entalhe gracioso nas hastes, altas ramificações nas caixas baixas, largas aberturas em todas as formas abertas e curvas originais em diagonais. A textura resultante é viva, mas não intrusiva, e resulta em um texto amigável e fácil de ler.

Desde que descobri essa tipologia no meu computador, passei a usar em tudo – documentos do blog, texto da própria página (isso só foi possível porque o blog utiliza o Windows Live Writer, e na composição do post pode ser empregada a tipologia que você quiser), MSN, logotipo da Companhia Ideias e do Blog Josivandro Avelar, etc, etc, etc, tudo é Candara.

A única marca do portfólio da Companhia Ideias que não usa Candara em sua composição é a da Menina dos Sonhos (o desenvolvimento dessa marca em específico merece outra série a respeito, e vamos pensar nisso depois). A marca virtual de transporte usa a tipologia manuscrita Burst My Bubble, a qual foi adotada em 2009 como um modo de tornar a marca mais leve e descolada. E para que fique bem claro, essa tipologia é diferente da Comic Sans. Em um eventual manual de identidade da marca Menina dos Sonhos, a utilização da Comic Sans constaria no item dos elementos proibidos de serem utilizados na composição da marca.

Menina dos Sonhos, único logotipo do portfólio da Companhia Ideias que não usa a tipologia Candara como fonte principal. Usa a tipologia manuscrita Burst My Bubble.

No manual de identidade da Companhia Ideias, são colocados os caracteres que compõem Candara:

Especificação da tipologia da Companhia Ideias.

No próximo post, mostraremos como aplicar todo esse pacote visual apresentado nesta série em materiais de uso da empresa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Vem aí um novo jeito de ouvir áudios no WhatsApp Reorganizar o feed do Instagram? Um dia será possível Importando conversas do WhatsApp do iOS para Android Como colocar capa nos destaques dos stories do Instagram Instagram vai mudar apresentação do feed inicial