Image

Marcas no mundo

O que importa é deixar as suas marcas no mundo, não importa em que pedaço dele seja. Um dia isso será realidade.
,

Se tem uma coisa que eu sempre gosto de ressaltar todos os dias, mas não todos os dias, se é que me entendem, é sobre como eu quero deixar as minhas marcas no mundo. Uma vez eu pensei nisso deixando marcas literalmente no mundo, mas eu mal via essas marcas por onde eu passasse porque elas não faziam parte dos meus itinerários. Se eu não poderia fazer isso na publicidade comercial da qual eu me formei, eu tento com as minhas artes.

Hoje elas são meras artes no papel, eu sei. Em breve volto efetivamente a pintar telas, tenho duas prontas que eu fiz como um teste. E sim, eu pretendo vender essas artes para ir deixando essas marcas no mundo, e me manter para poder efetivamente continuar fazendo isso que eu gosto de fazer. Mas eu entendo que só deixar artes nas paredes das casas das pessoas não é suficiente para mim. Tem dias em que eu sonho com mais. E o que seria esse mais?

É sobre ser parte da cidade, sobre ter alguma coisa sua como parte da cidade, de um muro até algum outdoor, que não precisa ser necessariamente algo com palavras, se bem que eu sei fazer isso e aprendi bastante na publicidade comercial, mas eu ainda tenho os meus planos para quando eu puder ter um pouco mais de recursos e um pouco mais de solidez. Afinal de contas, planos custam recursos financeiros, sonhar é de graça.

Mas eu não preciso ser só parte desta cidade. Se é que ela assim a quer, porque eu tenho as minhas desconfianças em vários aspectos. E nem disse qual seria a cidade eu poderia deixar minhas marcas, pois pode ser qualquer cidade. O que importa é deixar as suas marcas no mundo, não importa em que pedaço dele seja. Um dia isso será realidade. Mas antes disso, tudo o que vier e tudo o que você vê aqui no site e nas redes sociais é e sempre será um ensaio do que ainda virá por aí.

Para qualquer coisa, em especial os aspectos de desconfiança, estou aberto a qualquer diálogo, afinal, não existe nada que não se resolva na base de uma boa conversa. Agora, o momento é de seguir planejando e executando novas ideias, afinal, tudo ainda é planejamento e tudo é ensaio para as marcas que eu quero e eu vou deixar no mundo.


Receba os posts do site em seu e-mail!

Toda vez que um post for publicado no site, você irá receber na hora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Antes de deixar o seu comentário, leia a Política de Comentários do site.

Luneta Sonora

Um podcast sobre tudo e o nada ao mesmo tempo.
  1. Luneta Sonora 127: Sério que eu esqueci dos três anos do podcast?
  2. Luneta Sonora 126: Se eu esqueci de alguma coisa, eu não me lembro
  3. Luneta Sonora 125: Como eu esqueci de oito desenhos?
  4. Luneta Sonora 124: Que legenda este episódio merece?
  5. Luneta Sonora 123: A velha rotina está de volta
  6. Luneta Sonora 122: Nunca pode ser tarde, mas tem sido tarde

Assine A Luneta

Receba os posts do site em uma newsletter enviada às segundas, quartas e sextas, às 8 da manhã.